CGE

23/11/2017 15:50:00

Ouvidores dos Núcleos Regionais de Educação, visitam a CGE

Nesta quarta-feira (22), no período da manhã, foram recebidos para uma visita à Controladoria Geral do Estado os ouvidores dos 32 Núcleos Regionais de Educação, acompanhados pela ouvidora da Secretaria de Estado de Educação - Margarete Maria Lemes.

Durante a visita os ouvidores foram recepcionados pelo Coordenador de Ouvidoria Roberval Ângelo Rizzo Castilho, que em nome do Controlador Geral do Estado deu as boas-vindas, “agradecendo o empenho e dedicação dos ouvidores da área da Educação, exaltando o excelente trabalho que a equipe vem desempenhando”, discorreu sobre a estrutura organizacional das áreas que compõem esta CGE.

Após, o grupo foi divido em turmas que participaram de duas palestras:
1- O Sistema Integrado de Gestão de Ouvidorias, uma ferramenta de futuro, ministrada pelo Coordenador Roberval e pelo Técnico da Celepar – Joel Augusto Nievola. 2- A estrutura da CGE e as suas ferramentas de atuação, ministrada pelo Coordenador de Transparência Matheus Klaus Portes Gruber e pelo Coordenador do Observatório da Despesa Pública – ODP, Guilherme Arruda Santos, que discorreram sobre os aspectos legais da Lei de Acesso a Informação e sobre as atividades do Observatório.

Participou também da reunião o Diretor Geral da CGE – Gerson Luiz Ferreira Filho, que além das boas vindas, enalteceu a importância da função de Ouvidor dentro das atividades do Estado, destacando o processo da evolução do controle social sobre a atividade Pública. Lembrou as dificuldades iniciais da sociedade para acessar as informações públicas, que são os ouvidores os agentes que fazem a ponte entre o cidadão e o Estado.

“Para chegarmos ao nível atual de transparência por parte da Administração pública, percorremos um longo e acidentado caminho. Mas, com o fortalecimento do controle social, o engajamento dos agentes públicos, seremos no final de nossas atividades proclamados vencedores” disse Ferreira Filho

O coordenador Roberval, enfatizou que a Ouvidoria dá voz aos cidadãos e aos usuários dos serviços públicos, que é o canal de comunicação onde a população pode externar seus desejos e anseios do que esperam do poder público, fazendo suas reclamações, solicitações, denuncias, sugestões e elogios de como os serviços públicos estão sendo prestados, e que os servidores nesta área necessitam sempre informações para um melhor desempenho.

“Precisamos tornar confluentes nossos objetivos de aprimorar os serviços prestados pelas Ouvidorias em nosso Estado, modernizar e tornar mais eficientes, eficazes e efetivos os serviços públicos prestados à população, que aliás, urge por uma administração mais competente, mais ágil e, portanto, mais alinhada aos anseios da sociedade moderna. O (a) ouvidor (a) pode e deve contribuir para que estes avanços ocorram. A sociedade anseia por respostas e por soluções competentes, por iniciativas inovadoras.

Representando a SEED estava a ouvidora Margarete Maria Lemes que afirmou que o evento teve muito a agregar quanto a compreensão e obtenção de novas informações, “termos a oportunidade de interagir com a CGE foi de extrema importância para esta reunião técnica entre os ouvidores dos Núcleos. Os participantes enalteceram desde o modo acolhedor, como fomos recebidos, até o nível de conhecimentos a que tivemos acesso. Tivemos acesso ao esclarecimento de nossas duvidas no SIGO e também acesso à informação. Tivemos as melhores orientações”.

Dificuldades sempre ocorrerão, porque as demandas por vezes têm variados graus de complexidade. Por isso a equipe da Coordenadoria de Ouvidoria Geral, coloca-se a disposição para pensar juntos as soluções das demandas apresentadas.

Dentre os convidados estava o ouvidor Anderson Ratuchniak (NRE União da Vitoria) que afirmou ter sido um encontro importante para conhecer outros núcleos do estado “Melhor aproximação entre Ouvidorias dos NREs e CGE. Momento ímpar de conhecer a estrutura e funcionamento da CGE, suas atribuições em relação ao nosso trabalho”.

São grandes os desafios. Queremos uma Ouvidorias de Balcão (presencial) ou Ouvidorias Digitais? Seremos capazes de oferecer as respostas aos cidadãos em tempo real? Como trabalhar para produzir informações com intuito de subsidiar o planejamento estratégico. Construir ferramentas e desenvolver aplicativos? Como nos tornarmos fomentadores de diálogos com a Sociedade Civil Organizada? ”. Essas são algumas reflexões que poderemos fazer em conjunto para a melhoria e desenvolvimento continuo da rede de Ouvidorias do Paraná.

Ao final, o Diretor Geral, agradeceu a visita de todos colocando a Controladoria Geral do Estado a disposição.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.