Coordenadoria de Auditoria

“A auditoria interna é uma atividade independente e objetiva de avaliação e consultoria, criada para agregar valor e melhorar as operações de uma organização. Ela auxilia a organização a atingir seus objetivos a partir da aplicação de uma abordagem sistemática e disciplinada à avaliação e melhoria da eficácia dos processos de gerenciamento de riscos, controle e governança”. Esta é a definição de auditoria interna dada pelo IIA (Instituto dos Auditores Internos), e de suas palavras-chave podemos extrair o sentido da moderna auditoria interna.

Ela deve ser uma atividade independente, que não permite que influências ilegítimas alterem suas conclusões. Deve ser objetiva, ou seja, o auditor deve ter uma atitude imparcial, isenta, além de evitar qualquer conflito de interesses.

É uma atividade de avaliação e consultoria, ela não só avalia os processos que já ocorreram como também auxilia o gestor a melhorar os processos da organização.

Deve utilizar uma abordagem sistemática e disciplinada, pautada por um processo padronizado e repetível, a fim de que a atividade de auditoria possa ser medida ("O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado." - William Edwards Deming).

Utilizando-se desta metodologia a Auditoria Interna contribui para a melhoria da eficácia dos processos de gerenciamento de riscos, controle e governança; passo fundamental para continuidade das organizações.

A Resolução 48/2020 constituiu o Grupo de Trabalho de Auditoria (GTA), que foi reorganizado pela Resolução CGE 63/2020, para realizar inspeções e auditorias, responsável pela realização das atividades de auditoria da Coordenadoria de Controle Interno a seguir relacionadas:

I. realização de inspeções e auditorias, compreendendo o exame detalhado, total ou parcial, nos objetos tratados, assim como nos sistemas institucionais, contábil, financeiro, orçamentário, patrimonial, de pessoal e demais sistemas verificando a economicidade, eficiência, eficácia e efetividade;

II. elaboração e manutenção atualizada dos manuais, normas e programas de auditoria;

III. elaboração de relatórios referentes às auditorias executadas, devidamente instruídos com os papéis de trabalho;

IV. realização de diligências e vistorias necessárias à complementação de informações e esclarecimentos para a instrução e emissão de pareceres que envolvam atos de gestão ou denúncias;

V. apuração, em conjunto com a Coordenadoria de Corregedoria de atos ou fatos ilegais ou irregulares praticados por agentes públicos ou privados na utilização de recursos públicos estaduais;

VI. elaboração do calendário anual de auditorias.

Para uma melhor organização das atividades de auditoria a Resolução 63 subdividiu o GTA em dois grupos:

a)    Grupo de Auditoria Contingencial: responsável principalmente pelas auditorias de apuração, respondem demandas que não estão contidas no Plano Anual de Auditoria, demandadas pelo Controlador Geral do Estado ou pelo Diretor de Auditoria.

b)    Grupo de Auditoria Programada: realiza as atividades de auditoria previamente programadas, criando e executando o Plano Anual de Auditoria, sendo também responsável pela padronização das atividades de auditoria realizadas pela CGE.