Últimas Notícias

CGE investe em humanização nas relações de trabalho
09/09/2021 - 11:41

Todos que começam a fazer parte da equipe da Controladoria-Geral do Estado (CGE) entram na nova rotina para recepção de servidores, inclusive estagiários e terceirizados. O procedimento passou a ser adotado no fim do semestre passado e obteve resultados praticamente imediatos na qualidade do trabalho dos novos integrantes órgão.

O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, disse que abraçou a ideia levada pela equipe. “A força da CGE está nas pessoas. A valorização do empregado está sempre em nosso radar, pois sabemos da importância do ambiente de trabalho acolhedor para se alcançar bons resultados e a eficiência que queremos”, destacou.

A chefe do Grupo de Recursos Humanos Setorial, Elaine Bora, explicou que promove iniciativas tanto para quem entra como para quem já trabalha na CGE. “São pequenas ações que dão muito resultado. O senso de pertencimento é muito importante, o servidor fica feliz e empolgado e nós também. Acredito muito que sozinhos podemos ir mais rápido, mas juntos vamos mais longe”, resumiu.

Para o servidor que nunca teve contato com o setor público, o treinamento começa por apresentar a estrutura de funcionamento do Estado e da CGE, de correspondência oficial e dos principais sistemas usados. “Só depois ele entra em contato com cursos específicos da área em que atuará”, detalhou Elaine.

A integração do servidor recebeu o nome “CGE – A casa é sua” e consiste em uma série de treinamentos online programados e um kit com objetos de trabalho e uma carta de boas-vindas assinada pelo controlador-geral.

Alesandra Martins, que trabalha na Coordenadoria de Transparência e Controle Social, foi a primeira a participar do projeto e ficou surpresa com o acolhimento. “Eu nunca tinha trabalhado no serviço público. A gente não faz ideia como é na prática, é uma diferença grande. Porém, os cursos eram bem explicados e deram uma boa base, assim não ficou difícil dar andamento às atividades”, relatou Alesandra. Ela completou que o acolhimento a ajudou a se sentir parte da equipe.

TRAJETÓRIA – Atualmente o órgão conta com 95 servidores, comissionados ou concursados, e mais 10 estagiários. Eles atuam nas áreas de Ouvidoria, Controle Interno, Corregedoria, Integridade e Compliance, Transparência e Controle Social e no Observatório da Despesa Pública e, ainda, nos grupos administrativos.

Entretanto, a inovação na gestão de recursos humanos vai além do acolhimento inicial. Mais dois projetos estão em andamento: “Por dentro da CGE” e “Eu sou CGE”. No primeiro, por meio da plataforma Trello, o servidor tem disponíveis informações administrativas, como o Planejamento Plurianual (PPA), organograma do Estado, quem integra a CGE e os sistemas usados no Estado.

Pelo “Eu sou CGE”, periodicamente, um servidor é escolhido para contar um pouco de seus gostos pessoais e o que gosta de fazer fora do ambiente de trabalho. As informações geram um cartão virtual que é distribuído a todos os empregados.

RESULTADOS – Elaine explica que apesar de o objetivo principal ser a humanização das relações de trabalho, os projetos têm se refletido na produtividade e eficiência. “Os coordenadores de cada área ficam satisfeitos, pois recebem o novo servidor já com algum conhecimento. O que melhora o fluxo de trabalho”, registrou a chefe do GRHS.

GALERIA DE IMAGENS